Voo direto da Europa para Maceió vai fortalecer turismo alagoano

AddToAny buttons

Compartilhe
05 A 06 out 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Gilton Lima, presidente da Fecomércio, parabeniza o governador Renan Filho e o secretário Rafael Brito pela iniciativa
Gilton Lima, presidente da Fecomércio, parabeniza o governador Renan Filho e o secretário Rafael Brito pela iniciativa
Crédito
Fecomércio-AL

O aeroporto Zumbi dos Palmares recebeu o primeiro voo regular vindo de Lisboa, em Portugal, a Maceió, no dia 2 de outubro. Serão três voos por semana, operados pela companhia aérea portuguesa TAP, cada um com capacidade para 168 passageiros. A Fecomércio-AL cumprimentou o governador Renan Filho (MDB) e o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, pela iniciativa que contribuirá para fortalecer os setores de turismo e serviços no Estado.

“Além da vocação natural para o turismo, Alagoas tem uma rede empresarial preparada para recepcionar e atender bem nossos visitantes. A chegada desse voo em um momento de retomada das atividades certamente vai trazer impactos positivos na nossa economia”, avalia Gilton Lima, presidente da Federação. Ele ressalta que, com a alta do euro – que atualmente está em torno de R$ 7 –, estes turistas vêm a Alagoas com alto poder aquisitivo, o que favorece o consumo no comércio local.

Retomada

Em Alagoas, os setores de turismo e serviços foram fortemente afetados pela pandemia da covid-19, em decorrência do fechamento de aeroportos e fronteiras, cancelamento de voos, de hospedagens e fechamento de bares e restaurantes. Considerando um universo de 192 hotéis e 7 apart-hotéis apenas na capital, segundo dados da Receita Federal do Brasil (RFB), o impacto negativo na economia foi significativo, incluindo  99 microempresas com faturamento de até R$ 360 mil; 57 empresas de pequeno porte (EPP) com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões; e 41 empreendimentos com faturamento acima deste valor.

Após meses com aproximadamente 90% dos estabelecimentos fechados, os hotéis e as pousadas adotaram os protocolos sanitários e retomaram as atividades, em junho, ainda que de forma reduzida e em meio à incerteza da volta dos turistas. Porém, dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Alagoas (ABIH-AL) demonstram que a retomada do turismo já é uma realidade em Alagoas, colocando Maceió como a primeira capital do Nordeste e a terceira do País em reservas hoteleiras. Ainda de acordo dom a ABIH-AL, setembro marcou os primeiros resultados positivos da retomada da atividade turística: além da reabertura de 18 hotéis associados que estavam fechados desde abril, o setor hoteleiro registrou uma ocupação de cerca de 82% no feriado prolongado do Dia da Independência do Brasil, quando a previsão era de 70%. O cálculo considera a atuação dos hotéis com capacidade reduzida.

“Dentro do cenário que estávamos vivendo, essa recuperação, ainda que gradual, é positiva para a economia e, consequentemente, para a manutenção de empregos diretos e indiretos”, afirma Gilton Lima.