Pesquisa Fecomércio-PR indica que 68,3% dos paranaenses pretendem presentear no Dia das Mães

AddToAny buttons

Compartilhe
06 A 07 mai 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
A pandemia da Covid-19 é o principal fator de impacto na intenção de compra dos paranaenses. Dificuldades financeiras, isolamento social e perda do emprego ou renda foram apontados como os principais motivos de quem não irá presentear.
Crédito
Fecomércio-PR

O Dia das Mães será comemorado no próximo domingo (10/05) e uma sondagem feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio-PR) revela que 68,3% dos paranaenses pretendem presentear nesta data. O percentual é bem menor do que o registrado no ano passado, quando 80% dos filhos planejavam comprar uma lembrança para as mães.

Segundo a federação, esta é a menor expectativa de compras para o Dia das Mães – considerada a segunda melhor data para o comércio – desde o início da sondagem, iniciada em 2015. A parcela de paranaenses que não vão presentear este ano é bem maior e corresponde a 27%, ante os 17% em 2019.

A pandemia da Covid-19 é o principal fator de impacto na intenção de compra dos paranaenses para o Dia das Mães: 66,5% das pessoas ouvidas pela Fecomércio-PR afirmam que a crise gerada pelo coronavírus influenciou na decisão, seja de não gastar ou de reduzir o valor do presente. Dificuldades financeiras (47,9%), isolamento social (17,4%) e perda do emprego ou renda (8,5%) foram apontados como os principais motivos de quem não irá presentear.

Valor do presente

Também houve redução no tíquete médio, que será de R$ 105,15, ou seja, R$ 20,00 a menos do que no ano passado, quando o valor médio do presente foi de R$ 125,17. Neste ano, a maior parte dos presentes (62,5%) custará até R$ 100,00. Os filhos que pretendem gastar entre R$ 101,00 e R$ 150,00 correspondem a 23,0%; entre R$ 151,00 e R$ 200,00, 9,0%, e os consumidores que planejam despender mais de R$ 200,00 são apenas 5,5%.

Local das compras

O comércio de rua, somando lojas do centro (26,0%) e de bairro (12,8%), continua sendo a preferência do consumidor, com 38,8% das citações. Por conta da pandemia, 24,7% preferem fazer a compra do presente de casa, pela internet.

De acordo com o diretor do Sistema Fecomércio-PR, Rodrigo Rosalem, o crescimento das compras on-line foi motivado pelo isolamento social. “Comparando com nossa sondagem de Natal, realizada pela federação em dezembro de 2019, as compras pela internet ocupavam a terceira colocação, com 11,7%. Por outro lado, as compras realizadas em shoppings, no Natal, eram 23,9%, e agora caíram quase pela metade por causa de seu fechamento”, explica.

Roupas, bolsas ou calçados devem ser a aposta principal dos filhos para agradar as mães, com 32,4% das intenções

Influência na decisão de compra

Quando se trata de presentear quem lhe trouxe ao mundo, o principal fator considerado é a qualidade do produto, com 42,4%. O preço baixo influencia 18,1% dos consumidores; a qualidade no atendimento do vendedor, 12,1%.

A exclusividade do produto cativa 3,8% na hora da escolha e a possibilidade de entrega em casa, 2,0%.

Leia mais no site da Federação-PR.