Líderes empresariais do Paraná debatem desafios diante da crise econômica gerada pela pandemia

AddToAny buttons

Compartilhe
13 A 14 mai 20
Ex: 8h00 às 18h00
Botão - Tenho Interesse
Esse preenchimento não garante sua
inscrição. É apenas para fins de comunicação,
envio de novidades e informações sobre o
evento.
Para Darci Piana, perseverança e equilíbrio são palavras que devem nortear a retomada da saúde econômica
Para Darci Piana, perseverança e equilíbrio são palavras que devem nortear a retomada da saúde econômica
Crédito
Reprodução live

13/05/2020

O presidente do Sistema Fecomércio-Sesc-Senac-PR e vice-governador do Paraná, Darci Piana, participou hoje (13) do programa ArticulAção, do Sebrae. O debate, com tema “Liderança no comércio e na indústria”, ocorreu por meio de live mediada pelo diretor superintendente do Sebrae PR, Vitor Tioqueta, com a participação do presidente do Sistema Fiep, Carlos Walter Martins Pedro.

Para o presidente Piana, é importante reunir lideranças do setor produtivo para debater as dificuldades que afetam a economia do Paraná. “Vínhamos desde o ano passado com dados surpreendentes na economia do Estado. Agora é hora de enfrentarmos esse desafio. Tenho trabalhado muito junto da Fecomércio e do Governo do Estado com grande responsabilidade”, afirmou.

Suas palavras de destaque aos líderes são: perseverança e equilíbrio, pois estas serão norteadoras à retomada da saúde econômica.  “A crise mundial afetou drasticamente setores como indústria, comércio e o agronegócio do Estado, cujos dados positivos incrementavam a economia nacional. Portanto, será necessário reestruturar e economia do Paraná, frente a modificações de orçamento.”

O presidente Carlos Walter avaliou o cenário de crise no período de 2014 a 2019. “Estávamos com esperanças para 2020, com o controle da inflação e juros menores; contudo, uma nova crise inesperada surgiu, um inimigo invisível que trouxe incertezas ao futuro”, ponderou. Esta insegurança afeta a eficácia das lideranças, a ser combatida com a confiança e a credibilidade dos liderados, segundo ele.

O papel do líder   

Como se falar em motivação com redução salarial? Para ambos os líderes, é de responsabilidade do gestor o repasse de informações transparentes a sua equipe de trabalho para os colaboradores compreenderem que a situação é passageira e medidas vêm sendo tomadas à saúde das empresas para manter suas contratações.

“Há líderes que estão demitindo pessoas, sem se preocupar com a realidade das famílias. Decisões de improviso que desestruturam as equipes. Hoje, são 26 milhões de desempregados, sem contar aqueles que perderam seus próprios negócios. Essa grande massa não tem renda; portanto, os investimentos de apoio garantirão o sustento dessas pessoas. Líder é aquele que consegue passar sua decisão correta no momento correto, isso mantém a equipe motivada. Então, o momento é de assumirmos nossa responsabilidade e dividirmos com a equipe”, disse Piana.

Segundo Carlos Walter, essa situação jamais antevista gerou uma situação de “guerra” invisível mundial. “Muitos estão impedidos de trabalhar e manter contato social. Que condições de vida são essas? Por isso temos que manter motivação, empregos, preservarmos vidas. Muitas empresas trabalharam com seus bancos de horas, deram férias, todas as medidas para aliar a sobrevivência dos negócios e manter o isolamento.”

Se por um lado há a necessidade de sobrevivência da pessoa jurídica, por outro, o empregado, dependente do sustento e da garantia de dignidade à sua família. “Manter a motivação da sua equipe, mesmo reduzindo a jornada de trabalho e em meio a demissões, é difícil. No sistema FIEP, atendemos à Medida Provisória 936, negociando com o sindicato da categoria, afirmou Carlos Walter.

“Não podemos perder tempo com a arrancada da nossa economia, esperando que seja no início de agosto. Manteremos a união de entidades do G7 e de outras para gerar empregos. Vamos ganhar essa guerra de cabeça erguida, com dignidade, equilíbrio, bom senso e responsabilidade”, encerrou Piana.